13 de set de 2016

Leituras em Setembro

    Salvat Vermelha - Harpia: Bem legal as histórias desta edição, tanto o encontro com o Homem-Aranha como o reencontro e retomada do romance com Ronin (Gavião Arqueiro), numa história com referência a fatos de histórias clássicas com bastante ação e romance. Melhor do que pensei!!! 



Barbara "Bobbi" Morse, a  Harpia




     Na série televisiva Agentes da SHIELD a personagem (descaracterizada, mas muito boa) é interpretada pela atriz Adrianne Palicki, que chegou a gravar um episódio piloto para um seriado da Mulher-Maravilha que foi cancelado, mas vazou na internet.




Salvat Vermelha - Quarteto Fantástico - uma saga (?) em 9 partes, ou melhor, 10, já que a última tem o dobro de páginas, e que se pretende (na época, 1978), a maior saga do grupo de heróis. Nem perto, pois embora as primeiras partes sejam bem legais, nas histórias do Tocha contra Texas Tornado (!?) e Coisa contra o Demônio da Morte, e apesar dos belíssimos e clássicos desenhos do mestre John Buscema, o texto e falas do personagem, principalmente do Doutor Destino, são chatas, o personagem ficou um megalomaníaco que repete três vezes as frases quando está com raiva, ficou muito infantil e estereotipado! O texto final contando o histórico da equipe também tem problemas, faltou encadear alguns fatos... 



Coleção Histórica Marvel - Os Defensores - este tipo de coleção caça níquel me irrita. Nesta, apenas a primeira de 4 edições tem histórias do grupo Defensores!!! As demais trazem histórias solo dos membros do grupo. Claro que aproveitam coisas recém lançadas ou que em breve serão lançadas pela coleção da salvat de capa preta, como no caso do Quarteto Fantástico - chegada de Galactus e confrontos com Doutor Destino (além de outras histórias como a estreia do Pantera Negra). Neste caso me refiro à segunda edição, do Doutor Estranho, com algumas histórias que constam na edição 3 da coleção de Clássicos da Salvat. 
      Mas e quanto a esta edição? Bom, fora o cheiro nauseante de tinta que emana das páginas, as histórias são legais, mas bem ingênuas e com roteiro rápido e superficial, mas de certo modo é o seu charme e por isso gosto delas!! Magos, dimensões estranhas, guerreiros que surgem e desaparecem rápido e personagens bizarros como o demônio "Inominável", bem divertido. Desenhos do Sal Buscema são ótimos!

      Pena que o editor fez uma confusão ao colocar as referências, trocando o ano da publicações algumas vezes, como por exemplo 1972 para Superaventuras Marvel (que é de 1982) e 1952 para revistas do Hulk, ano em que o personagem nem tinha sido criado. 





































Monstro do Pântano - Regênese 2 - continua muito boa a fase de Rick Veitch e Alfredo Alcala, com um texto interessante, que evoluiu bastante.



Asterix e Obelix - O Livro de Ouro - comemorando os 50 anos do personagem, a edição é bem louca, com os personagens (e autores) imaginando  um presente para os gauleses. 



Alice no País das Maravilhas - adaptação do filme de Tim Burton (que não vi) - muito boa, no estilo graphic novel, com traços e cores interessantes, recomendo!



Homem-Aranha: Azul - era curioso acerca dessa série, mas embora seja uma bela homenagem às histórias antigas do aranha e seus autores, bem como à eterna Gwen Stacy, poderia ser reduzida em uma ou duas edições, achei muito enrolada com os vilões e ação desnecessária (o que acontecia nas histórias clássicas também, vilões e brigas como chamariz para leitores mais jovens e uma drama pessoal e amadurecimento dos personagens para os mais maduros). Fora isso, tem momentos emocionantes.



   A Última Tentação - quando vi que esta edição estava sendo RElançada, foi estranho, porque eu nem mesmo conhecia esta história em quadrinhos. Conhecia sim o álbum "The Last Temptation", do roqueiro Alice Cooper. Inclusive adoro a arte do encarte e o clipe de "It's Me", com o mesmo apelo visual. Então, curioso, acabei comprando esta edição, que mesmo com desconto, achei o preço salgado (editora Mythos castigou), mesmo porque uma HQ não tão famosa não precisava de cerca de 50 páginas com o roteiro do autor Neil Gaiman (só este nome já indicava que provavelmente a edição era interessante).




     A história? Sim, bem legal, lembrou a minissérie Psycho Circus, do Kiss, aliás, é tudo que Psycho Circus gostaria de ser, acredito. Um ser sobrenatural (na figura de Alice Cooper) tenta um menino para adentrar o elenco de um teatro de horror, prometendo vida eterna. Não chega a mostrar um terror apelativo, é tudo bem comedido, sendo uma leitura agradável e muito bem escrita. Nota 8!

Novíssimos X-Men - Criando Raízes - continuação da edição "X_men de Ontem", com os membros originais trazidos do passado, causando conflitos e situações inusitadas, muito boa esta série!





Star Wars - Clássicos 12 - o final da antiga fase de quadrinhos da série. Embora tenha perdido o ritmo inicial, visto que a guerra contra o império acabou, e ocorra alguns cortes abruptos na sequencia de alguns capítulos (fatos não mostrados), foi uma boa despedida. Os desenhos não empolgam muito, mas o argumento segue prendendo o leitor.








Thor - O Carniceiro dos Deuses - fantásticas essas histórias onde o Deus do Trovão, em 3 momentos distintos do tempo, enfrenta um inimigo misterioso e selvagem, já estou com as mãos na edição seguinte, que em breve lerei!

  
  

12 de set de 2016

Crise!

     Não, não é a crise econômica! É a Crise nas Infinitas Terras - Edição Definitiva. Um calhamaço de mais de 400 páginas com a história clássica que revolucionou o Universo da DC Comics em 1985, e que nesta edição ainda traz mais de 60 páginas de extras, incluindo explicação sobre todo o processo de planejamento, memorandos entre funcionários, pesquisa sobre os crossovers com outras séries e outras coisas!





      Acabei de ler agora (Ufa!) a história principal e estou lendo algumas coisas desse material extra. 




       Recomendo uma passada no site Legião dos Heróis no link abaixo para conhecer alguns dos momentos mais importantes dessa saga em 12 partes: