4 de jun de 2019

Leituras de Junho

Cascão 315 (fevereiro de 1999) - O pai do Cascão resolve levar o filho e o cebolinha para acampar, mas só se metem em confusão, pois as crianças querem usar tecnologia e ainda esqueceram os suprimentos. Bidu sonha com tanta comida que acorda sem fome. Dona Morte se engana de cliente e faz um coitado passar por várias situações perigosas. Nimbus faz um show de mágica para os amigos e agrada muito as meninas, que o elogiam até ele "desaparecer" de vergonha. E ainda: uma história sem palavras que publico aqui e a tirinha do final da revista, muito boa.









Chico Bento 331 - Nesta edição Chico fica com inveja das obras da casa enorme e das obras de arte da propriedade de Genesinho, pois Rosinha adorou. Ele tenta fazer uma escultura e só consegue fazer um espantalho, que ela valoriza por ter sido feito pelas próprias mãos dele. E já que os pais sempre se despedem dizendo: "Vai com deus, fio!", O "Diabão" tem que ir pra escola sozinho...








Cascão 43 (Panini) - Edição meio sem graça onde o Cascão só aparece fantasiado de Homem-Aranho, com Anjinho ajudando a levar o menino de um lado para o outro. Roteiros muito fracos na maioria das histórias: Bidu, Chico Bento e outras com a turma. A melhor ficou no final, com Cascão hipnotizado pelo Doutor Olimpo. Mas nem de perto se compara com as histórias clássicas com o vilão.





Chico Bento 347 (Maio de 2000) - A Marca do Zurro, a lenda de um herói atrapalhado enfrentando as proibições de Genesinho, o filho do "Coroné", que aproveita a ausência do pai para impedir as crianças de brincarem. Chico encarna um Zorro, mas quem faz sucesso é seu burrico, com seu som característico, um "zurro". Zé Lelé quer comprar algo com o dinheiro do porquinho (cofrinho) que quebrou, mas o valor só dá para comprar outro porquinho. Rosinha ouve assobios na rua e pensa que é para ela. E Piteco se vê às voltas com uma criatura mágica, o Plim.





Salvat - O Que Aconteceria Se... - sempre gostei dessas histórias de mundos alternativos, embora algumas sejam feitas por artistas não tão bons. Nesta coletânea, a qualidade das histórias variam, mas valem pelo seu valor histórico, como a primeira, onde o Homem-Aranha se junta ao Quarteto Fantástico. Com uma contextualização longa demais, acaba se tornando enfadonha para o leitor de hoje. Na história seguinte, onde os Vingadores se desfazem após o segundo encontro, o mesmo mal. Ritmo lento, enrolação, mas pelo menos tem a referência dos Vingadores de Ferro, que foi utilizada na saga Terra X. Na aventura onde o Doutor Estranho vira discípulo de Dormammu já temos uma HQ bem melhor, com a participação de outros magos, como Genghis e Dr. Druida, mas enfim não se altera muito o destino final do personagem principal. A qualidade volta a cair quando temos a versão da guerra Kree-Skrull com a morte de Rick Jones (a original também é meio chata em minha opinião). Nem desenhos nem roteiro ajudam. Na ótima versão onde Jarella sobrevive,  o Hulk inicia uma nova saga enfrentando os deuses do mundo de K'ai, reinando ao lado de sua esposa e povo.  E enfim um clássico do Homem-Aranha, onde Gwen Stacy sobrevive apenas para amargar o amargo destino de Peter Parker, com a identidade descoberta por J. Jonah Jameson graças ao Duende Verde.





Pílulas Azuis - premiada HQ de Frederik Peeters, contando sua história ao conhecer a a namorada e depois esposa Cati, portadora do HIV, e com seu filho na mesma condição. Apesar dos receios e dúvidas, o casal prevalece e constrói uma vida juntos, enfrentando o preconceito e conhecendo mais as maneiras de conviver com a família e a sociedade. A história é muito informativa, muito interessante para revelar mitos e verdades sobre a AIDS, inclusive os avanços no tratamento. Emoções a mil, mentes confusas e coração firme! Uma história de se admirar!






Salvat Vermelha - Agente Venom (Flash Thompson) - mais uma edição que a princípio  considerei dispensável numa coleção com os principais heróis da Marvel, mas que traz histórias boas. A primeira se destaca por contar o ato de heroísmo que acarretou na amputação das pernas de Eugene Thompson. O personagem clássico das primeiras revistas do Homem-Aranha foi ganhando profundidade ao longo dos anos, começando como um valentão da escola, depois fã do Aranha, e posteriormente se alistando no exército americano durante a guerra do Vietnã. Descobriu-se que teve um pai abusivo e o próprio Flash também se tornou um alcoólatra. Depois de alguns relacionamentos frustrados, se realista e vai para o Iraque, e depois do acidente, acaba participando de um experimento para se unir ao simbionte alienígena Venom, sendo a parte selvagem controlada por substâncias químicas. Venom já havia se aliado a Peter Parker,  Eddie Brock e Mac Gargan, mas agora, mais estável, formou uma aliança com Flash, que nesta edição enfrenta um Vampiro tecnológico e também Eddie Brock como o Toxina. Mas os dramas de Flash são o fio condutor da história, procurando reconstruir sua vida, com uma atitude positiva, mudando-se de cidade, tentando fazer amigos, resistindo ao vício, fazendo terapia, trabalhando numa escola e agindo como super-herói. Agente Venom aprovado na coleção!





Salvat - O Poderoso Thor: Ragnarok - mais uma magnífica obra de Stan Lee e Jack Kirby, um épico dos anos 1960. Ainda usando a identidade de Donald Blake, Thor enfrenta Loki, cujo poder foi aumentado pela feitiçaria de Karnilla, rainha dos nornes que tenta a qualquer custo ganhar o amor de Balder, o Bravo. Em seguida, o troll Ulik acaba libertando Mangog, que encarna a força de bilhões de seres de uma raça exterminada por Odin. Mangog pretende desembainhar a espada de Odin e com isso desencadear o Ragnarok. E também a verdade sobre a origem de Don Blake. Batalhas magníficas e páginas inteiras estonteantes desenhadas por Kirby e o discurso arcaico escrito por Lee, que dá todo o tom de nobreza dos deuses nórdicos, inclusive alguns momentos contemplativos de Thor, lembrando o Surfista Prateado (escrito na mesma época). Com a nova colorização valorizando ainda mais este clássico, é um item indispensável para os fãs de quadrinhos e aventuras heroicas literárias em geral! Excelsior!











Salvat Vermelha: Tropa Alfa - com as primeiras histórias solo da equipe canadense. Já começa com o departamento H sendo desativado. Mas os membros da tropa acabam se reunindo mesmo assim para enfrentar Tundra, inclusive com Marrina, que descobre sua origem alienígena da pior maneira, sendo controlada e torturada, e acaba atacando Pigmeu no processo. Este, no hospital, estrela uma história própria, assim como Pássaro da Neve, numa batalha contra Kolomaq, a besta do inverno, onde temos várias páginas sem desenhos, apenas balões de pensamento, fala e onomatopeias (uma jogada característica do autor, John Byrne). Participação de Namor e da Mulher-Invisível. Ainda temos também histórias curtas com as origens de Guardião, Heather, Shaman e Pássaro da Neve. A Tropa Alfa é um grupo diferenciado de heróis, saindo do padrão Marvel, mas com o clássico monstro super forte (Sasquatch) e uma dupla tipo supergêmeos (a fragmentada Aurora e o velocista Estrela Polar). Boa edição da coleção.



Superman: Brainiac - presente que ganhei e a pessoa acertou, edição muito legal com o desenhista fazendo o Superman com os traços do ator Christopher Reeve. Também nesta edição a "quarentona" Cat Grant muito bem retratada, bem como Lois e Supergirl. Brainiac recolhe dados de planetas, coleciona algumas cidades e depois os destrói, e Superman vai atrás dele no espaço. E a morte de Jonathan Kent deixa Clark devastado.






Salvat Vermelha: Miles Morales (Homem-Aranha Ultimate) - Com a primeira aparição do menino com os mesmos poderes do Aranha, tentando homenagear o falecido Peter Parker do universo ultimate, usando um uniforme igual ao combater o crime de forma meio atrapalhada, e sendo admoestado pela população, que achou um desrespeito ao herói. Em seguida, o momento em que Miles é picado pela aranha roubada acidentalmente por seu tio. A saga principal da edição é uma minissérie que mostra Peter Parker do universo regular da Marvel visitando o mundo de Miles, e encontrando com versões diferentes de seus amigos e entes queridos. Boa edição, uma leitura rápida e um pouco melancólica.






Os Maiores Clássicos dos X-Men vol. 1 - com as histórias que revolucionaram  os anos 90, com os belos desenhos de Jim Lee, sob a batuta de Chris Claremont. O leitor chega a ficar tonto com tantos detalhes nos painéis e com os cortes de cenas, que vão das alucinações e ilusões do vilão Mojo até Madripoor, passando pela Terra Selvagem e pela Ilha Muir. Muitas influências estas histórias causaram, como o clássico desenho animado, com a introdução da Jubileu, e o encontro de Logan com o Capitão América, resgatando a Viúva Negra, ainda criança, em 1941. Pois é que idade tem a Natasha, hein? Outra personagem de destaque nessa fase foi Psylocke, que ganhou seu visual oriental para agir como Lady Mandarim a mando do Tentáculo.