17 de out de 2017

Heróis: Professora Helley e o menino Lucas

      Na página do meu projeto Gibiblioteca, nas páginas de fãs e colecionadores de quadrinhos, nos games e filmes que gostamos desde criança exaltamos sempre os super-heróis e super-heroínas. Este ano mesmo chegou ao cinema um símbolo feminino, a Mulher-Maravilha, que desde os anos 1940 representa a força das mulheres. Bom, mas no mundo da fantasia, geralmente os heróis e heroínas têm habilidades ou super poderes fora do comum, usam roupas diferentes, com capas e armas.


A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, close-up       
      Nos últimos dias, no entanto, surge uma história de uma professora em Minas Gerais que entra três vezes na sala de uma creche em chamas, no intento de salvar o máximo possível de crianças. Com 90% de seu corpo queimado, ela acaba não resistindo e veio a falecer. Sem poderes de regeneração, sem roupa especial, sem treinamento, sem capa, sem armas, mas com uma coragem rara, deixando como consequência de seus atos seus três filhos sem ter a mãe para tentar ao máximo que outras mães tenham seus filhos. Deixando três filhos sem a mãe, mas com o maior exemplo de heroísmo que alguém poderia ter de um familiar, de um amigo, de um ídolo do cinema, da literatura fantástica, dos quadrinhos. Naquele dia trágico em que um vilão incendeia a inocência, num ato indescritível de maldade, na hora de desespero dos indefesos, heróis entram em ação, e a professora Helley Batista se transformou numa Mulher Maravilha. Assim como Lucas Vezzaro de 14 anos, que também morreu ajudando a salvar os amigos na tragédia com o ônibus escolar em Erechim-RS em 2004. Em reportagem da época, foi dito que mergulhava, nadava e tirava os colegas, até que em certo ponto não conseguiu voltar. Nunca esqueci isso! Lucas naquele dia se transformou enquanto teve forças num pequeno Aquaman.

A imagem pode conter: 1 pessoa, close-up 

       Lucas e Helley ganharam homenagens, e seus nomes agora batizam escolas. Herói e heroína da vida real, que deram o sacrifício maior. Que deram sua vida por outros. Heróis e heroínas que não precisam entrar em guerra, nem matar, nem socar o inimigo. Que simplesmente salvam. Que protegem. Que retiram a criança do lugar perigoso. Que aliviam a dor e o sofrimento com seu conhecimento, com remédio, com alimento, com uma palavra amiga, com orientação, ao segurar sua mão, ao se preocupar. Ou simplesmente agir na hora em que é necessário! Enfermeiros, médicos e paramédicos, bombeiros, policias, professores que cuidam de nossos filhos, voluntários em lugares de guerra e miséria.

       Teremos todos essa fagulha do heroísmo? Será que nosso instinto de sobrevivência permite que sejamos todos heróis e heroínas? Talvez não! Talvez nem sempre! Por isso mesmo exalto hoje esta mulher e relembro do valente menino! Não a conhecia, mas disseram Helley amava sua profissão e Lucas gostava de ajudar os amigos. Seus atos provaram! E não os esqueceremos! São heróis!

13 de out de 2017

Leituras de Outubro

Universo Marvel 11 - Com mais uma história ligada aos especiais de Thanos (Entidade Infinita, que se passa logo após Relatividade Infinita), onde um confuso Warlock desvenda os perigos que ameaçam o universo. Também com histórias do Nova e Venom interligadas ao evento Guerra Civil II (que parece ser bem fraco). Surfista numa HQ bem leve e quase infantil. E uma curta da Controle de Danos com um personagem tirado dos confins da mitologia Marvel: Trull, o Desumano!



Lendas do Universo DC - Mulher-Maravilha (George Pérez) 4 - embora não tenha lido os volumes anteriores desta coleção, já havia lido a edição 1 da série, e já imaginava que seria muito bom este material. É magnífico! Tramas simples e muito bem contadas, mesclando a mitologia grega com sentimentos e dramas da sociedade moderna (anos 80), questionando um mundo patriarcal e tudo lindamente ilustrado por George Pérez e outros artistas convidados. Uma leitura leve e sensível.



Superman - Entre a Foice o Martelo (Red Son, no original) - tanto ouvi falar sobre esta HQ que foi recentemente relançada em edição capa dura, que resolvi conferir. E não é que é uma história realmente boa? Claro que requer no leitor um certo conhecimento de história, de política, e da mitologia do Superman nos quadrinhos para captar muitas referências, mas este é o charme do negócio. Leitura de fantasia, com aventura, ficção e muitos elementos filosóficos. É uma história do tipo "Elseworld", ou seja, se passa num mundo alternativo onde a nave do planeta Krypton que trouxe Kal-El à Terra caiu na Ucrânia (dentro da antiga União Soviética) e Superman defende o comunismo de Stalin. Mesmo assim, foge de qualquer estereótipo. Lex Luthor é mais uma vez seu rival, e aqui é um personagem desenvolvido de maneira interessante. Com um final surpreendente e poético, esta edição é pra deixar qualquer fã extasiado! Recomendo muito!


8 de out de 2017

Postagem Especial 1

 Nas últimas semanas, a página no Facebook do projeto Gibiblioteca tem postado uma diversidade de capas, painéis, lembranças, pinturas, anúncios antigos, recortes e páginas de quadrinhos. Acompanhe, curta, divulgue!



















 

12 de set de 2017

Bidu e a Geometria

Trechos de uma história do Bidu que li muito tempo atrás:











Legal, né? Clique nas imagens separadamente caso não caiba em sua tela!

1 de set de 2017

Leituras de setembro

Terminando de ler Vingadores Primordiais da Salvat - história boa, desenhos competentes (mas rostos estranhos), no gênero fantasia, com a desculpa de aproximar Thor, Capitão América e Homem de Ferro após os eventos de O Cerco, onde trabalharam juntos pela primeira vez desde a saga Guerra Civil.



Salvat Homem-Aranha: Poder e Responsabilidade - começo da saga ultimate, tem um ritmo lento e a origem um pouco diferente do original, e até que foi bem justificado pelos autores nos extras, mas sinceramente? Não gostei dessa roupagem nova, nem do texto e muito menos dos desenhos, eu NUNCA GOSTEI DE MARK BAGLEY!! Embora que seja competente el algumas séries e personagens, aqui os personagens são feios pra caramba!!! Já li edições posteriores a esta na antiga revista Marvel Millennium: Homem-Aranha e mais pra frente as histórias melhoraram bastante. Mas esta edição, embora seja uma leitura rápida, não gostei. As capas são horríveis também!!!


Salvat Vermelha - Cavaleiro Negro - uma das piores edições desta coleção, traz duas histórias antigas onde surge o novo Cavaleiro Negro da Marvel, mas quase nem participa, temos apenas o megalomaníaco e chato Magneto. Na outra história, Nação Vampira, da série Capitão Bretanha e MI-13, o personagem-título da edição não tem quase participação nem importância na história, que parece sem pé nem cabeça e com uma pegada britânica chata pra caramba, com frases desconexas numa história ruim demais!!! Péssima seleção de histórias!





Astro City 4 - O Anjo Maculado - magnífica a história do "Homem Blindado de Aço", um personagem humano, falho, e ao mesmo tempo, poderoso e corajoso. A HQ tem uma pegada de história de detetive, um clima "noir", mesmo que em cores, num bairro decadente, com um ambiente e um elenco de moral deturpada, mas que, como na vida real, compõem uma parcela da sociedade por vezes esquecida, não ouvida, até injustiçada. Além disso, claro, temos ação, um plano, um vilão principal, super-heróis, até espaço para romance, tudo bem distribuído em 7 capítulos que dão prazer ao leitor de uma boa trama. É um quadrinho adulto e melancólico que estará na minha estante por um bom tempo, graças ao amigo Leandro Vargas, que me presenteou com a edição. Valeu mesmo!









Tom Strong 3 - Invasão - nada conhecia sobre o personagem, criado por Alan Moore. Prefiro o autor em quadrinhos mais profundos, aqui temos uma versão diferente do Quarteto Fantástico, com mais liberdade criativa e sem censura de grandes editoras, visto que é material da Vertigo. Divertido, um bom passatempo, mas só isso!




Batman - Lendas do Cavaleiro das Trevas - Neal Adams 2 -  com belos desenhos em histórias que revitalizaram o Homem-Morcego no final dos anos 60, a principal características são a agilidade das histórias, em roteiros que não perdem tempo se auto-explicando (o que exige bastante do leitor), e as poses do herói, em páginas repletas de ação e cores vibrantes. Muito bom! Mais uma edição presenteada pelo amigo Leandro Vargas!




Salvat Vermelha: Tempestade - embora goste da personagem, estava curioso para ver qual histórias iriam selecionar para esta edição. E foi uma bela surpresa. Dois clássicos de Barry Windsor-Smith e Chris Claremont, "Morte em Vida", mostrando a fragilidade da mulher que podia voar e comandar os elementos sentindo-se vulnerável e descobrindo suas vulnerabilidades emocionais, além de uma bela reflexão sobre a natureza, quando um membro de uma tribo africana se sacrifica pelo bem da continuidade de seu povo. Belíssimo texto. Em seguida, uma minissérie em 4 capítulos onde a personagem enfrenta o Rei das Sombras, tendo que brigar com seu marido Pantera Negra e seu amigo Ciclope. 


.
Salvat Vermelha: Tocha Humana - os desenhos estilizados de Scottie Young a princípio parecem caricatos demais, mas em seguida nem se percebe, por conta do tom sério da história de Karl Kesel, que a princípio se mostra bem legal, mas que no fim vira um clichê de investigação, quase policial. Sem o tom de HQ de super-herói, a edição não é ruim, mas também não acrescenta muito, a não ser por um retcom dramático no personagem.



E reler "Demolidor - A Queda de Murdock" sempre é bom, pois foi o que fiz também!


 

15 de ago de 2017

Gibiblioteca no CESVP (séries iniciais)

      Hoje os alunos das séries iniciais do Colégio Estadual Santa Vitória do Palmar assistiram a palestra sobre histórias em quadrinhos, e logo depois estrearam o espaço onde poderão pegar gibis para ler durante as aulas, com um armário enfeitado pela turma do 8º ano, cheio de gibis nas gavetas!


 










 

1 de ago de 2017

Leituras de agosto

    Salvat Vermelha - Surfista Prateado - mais uma vez é publicada "A Origem do Surfista Prateado" (8ª cópia que tenho hehe) - e finalmente algum material dos anos 90 inédito no Brasil, da série mais longeva do personagem. Infelizmente a saga "Provação do Arauto" não é nenhum primor de história, mas não deixa de ser legal. Uma fórmula que se repete por 4 dos 6 capítulos: arautos se encontram e brigam para depois se unir. A edição da salvat tem alguns erros de tipografia, falta de letras e uma ou outra tradução capenga, podiam ter caprichado um pouco mais. Pena que eu já tinha lido em scan e no gibi original em inglês, que consegui.






DC 2000 nº 12 - com histórias de Mulher-Maravilha, Nuclear e Starman - nunca acompanhei a DC, não consigo curtir tanto quanto a Marvel, mas nessa época (1990) deveria ser empolgante o surgimento dessa saga interligada, Invasão, que este ano foi adaptada nos seriados de Supergirl, Flash, Arrow e Legends Of Tomorrow. Legalzinho o gibi.




































Superboy 7 - encontro com a Legião dos Super-Heróis numa história completa, sempre puxando pro humor, e mais uma história curta do Aquaman encontrando o Lanterna Verde Kyle Rayner e dando-lhe uma lição. De 1997 - edição legal!



Universo Marvel 9  - Primeira parte de Thanos VS Hulk (que faz parte de uma história maior de Jim Starlin), bem legal, e uma história curta e boa de Nick Fury. De resto, a chatice de Agente Venom e Fabulosos Inumanos (esta até que não foi tão ruim), uma humorística de Guardiões da Galáxia e seus encontros com outros personagens, e outra sem palavras com Groot e Surfista Prateado.



 O Perfura Neve - Fantástico quadrinho francês! Num futuro distópico, a Terra congela e o que restou da humanidade vive num trem que percorre o planeta. Lá dentro, a estrutura social se repete, castas, religião, pobres e ricos, privilégios e sacrfícios,... uma visão desesperançosa que revela, infelizmente, nossa natureza! Agora já posso ver o filme baseado nessa obra: O Expresso do Amanhã".





Salvat Vermelha: Magnum - com sua origem meio espalhafatosa, embora bem escrita, parecia que só iria aparecer em uma única aventura. A segunda história começa com uma briga dele com o Visão, mas depois Magnum quase nem aparece mais. No final da edição, uma série com o Fera, lidando com fatos passados do personagem que não foram publicados no Brasil, e assim, toda hora temos referências em que ficamos boiando. O personagem não é lá muito conhecido fora dos quadrinhos, mas teve alguns momentos bem interessantes nos gibis.




Dreadstar - muito bom reler, agora em papel, esta obra épica de Jim Starlin, contendo parte da saga deste personagem atormentado, parecido com outros criados por ele para a Marvel, como Adam Warlock. Sem ter um ritmo acelerado nem grandes batalhas, é bem contemplativo e introspectivo, passando por décadas de sua longa vida, finalmente encontrando a paz e o amor, até um confronto menor para aplacar uma vingança e ainda modificar toda a estrutura do sistema econômico de uma galáxia. A arte está fenomenal, com cores e profundidades que dão um ar de grande obra-prima (que é!).





Universo Marvel 10 - a segunda metade da minissérie Thanos VS Hulk não tem Thanos!!! Hulk contra Aniquilador, apenas isso! Agente Venom melhorou um pouco! Fabulosos Inumanos bem legal, numa edição anual, diferente da série mensal chata. Guardiões Team Up totalmente esquecível (esqueci mesmo,  e li ontem). E o Surfista Prateado e Dawn Greenwood ótimos como sempre!!!




Universo Marvel (série 3) nº 28 - doação do amigo Leandro, li atrasado esta edição, que traz boas histórias, como a da série Inumano (que eu não gostava). Aqui um momento legal, pois mostra uns investigadores tentando achar o rei Raio Negro, dominado mentalmente por Máximus, seu irmão. Além dessa, uma história de uns jovens X-Men com o Homem de Ferro, no resgate de Ciclope, história que se interliga com edição de Nova Anual. A outra história de Nova também foi legal, junto com outros jovens heróis numa noite de Halloween. Capitã Marvel meio sem graça na revista, tentando fazer graça. Mas o destaque da edição fica com a série Novíssimos Invasores, com sua linguagem culta e muito bem desenvolvida, quando Union Jack descreve o ataque marciano a Londres em 1917.



Aproveitei para reler também a edição de Thanos Annual publicada em Universo Marvel 23 (série 3) - com um resumo dos confrontos de Thanos nas sagas cósmicas e uma prévia das séries atualmente sendo publicadas no Brasil, como Revelação Infinita, Thanos VS. Hulk,  Relatividade Infinita, e em breve, Final Infinito. 


Thanos: Relatividade Infinita - bastante ação e aquelas tramas complexas como Jim Starlin manja... um final surpreendente que deixa o leitor ansioso pelo final da trilogia!