28 de nov de 2013

Presentaço!!!!!!!!!!

    Bela surpresa hoje ao passar no centro da cidade. Fui chamado pelo donos da Livraria LIVRUS Alan e Simone e ganhei de presente uma edição na qual eu estava de olho há tempos: BÍBLIA EM AÇÃO! Capa dura, papel especial numa versão em quadrinhos do livro mais conhecido da humanidade.






      Não tenho palavras para agradecer a colaboração, prometo emprestar à vontade depois de ler!!!






    

17 de nov de 2013

O Homem-Coisa

       






    Pesquisando uns anos atrás sobre este personagem de terceira linha da Marvel para escrever algo no blog, achei um texto interessante no blog liberland.blogspot.com, onde o autor falava de momentos de sua infância e seu hábito de ler gibis. Ele conta que tendo 9 anos leu a revista Superaventuras Marvel 17 e lá havia uma história onde o Homem-Coisa punia um canalha por ter tentado matar o bebê de sua namorada (aparentemente muito pobre e que estava desesperada pelo sumiço da criança) jogando-o de uma ponte, e que apesar de tudo ela defendeu o cara, e esse conto ilustrava de certa maneira para esse infantil leitor fatos inegáveis da vida:







“Olhando hoje eu vejo um monte de coisas nessa historinha. O desespero do sujeito diante da pobreza e das crises dentro da família, a situação miserável de pessoas jovens demais e sem preparo diante das responsabilidades adultas, o afeto inocente da menina.
Jogar uma criança num rio pra ela morrer não é só coisa de gibi. Toda vez que vejo uma matéria assim no jornal eu me lembro dessa história. Toda vez que vejo uma pessoa insistir num relacionamento e defender o que parece ser indefensável eu lembro daquela menina abraçando o sujeito do rosto queimado.”


         Quem quiser confira direto na fonte supracitada que vale a pena, as páginas do gibi estão postadas lá. O personagem é verde, mas na época publicaram com a cor marrom!



 


        Achei que esse exemplo de como uma historinha despretensiosa pode nos trazer lições que ficam gravadas na memória seria ótimo para falar desse personagem praticamente desconhecido do público. O Homem-Coisa da Marvel é tido como imitação do Monstro do Pântano da DC, que fez muito mais sucesso, mas pelo que me consta, ele estreou seu gibi um mês antes, o que também não quer dizer nada, pois as editoras imitam mesmo, às vezes se antecipando aos concorrentes.
         O Homem-Coisa era Ted Sallis, cientista que testou em si mesmo uma fórmula para criar super-soldados, mas fugindo de espiões, cai num pântano, cujas águas reagem com a substância química e as energias místicas do lugar onde se encontra o "nexo das realidades". Ele se transforma num monstro de textura herbácea, instintivo, sem consciência, mas que reage sendo atraído pelas emoções humanas, que o incomodam e o fazem agir para acabar com a sensação. 

          "E aquele que tem medo queima ao toque do Homem-Coisa." - frase clássica nas histórias do personagem.

        Eu sinceramente nunca li nada dele que me chamasse a atenção, apenas tenho por acaso histórias dele em alguns gibis, junto com X-Men e Motoqueiro Fantasma. Mas o personagem até que tem potencial, só falta mesmo uma boa história. Mesmo assim gosto dele. 


E seu visual lembra um personagem que aparece num episódio de Caverna do Dragão, um cavaleiro preso na forma de monstro que não conseguia se comunicar.

           Em histórias recentes o personagem integrou o grupo Thunderbolts, pois como tem acesso ao nexo da realidade, é usado como teletransportador.




        Existe também um filme do personagem: O Homem-Coisa – A Natureza do Medo, lançado pela Marvel em 2006. Ruim, mas assistível como trash, hehe pelo menos tem um seio.


Eu tenho o dvd, mas com uma capa fuleira e não essa.



         O que atrapalha mesmo não é o baixo orçamento nem a criatura meio tosca, e sim o roteiro que tenta assustar sem mostrar quase nada e a confusão que fizeram com os personagens, fica difícil entender quem era Ted Sallis no filme, tem que subentender a origem e o final, nada é claro no filme. Quem conhece os quadrinhos até vê um sentido meio distante, pois tenta-se conectar o que se sabe previamente. Pro público geral, fica  tudo no ar...

MAN-THING RULES!


*Esta postagem de hoje já havia sido publicada em meu outro blog em 2008.

10 de nov de 2013

O ARAUTO DE GALACTUS – PARTE 3


O SURFISTA PRATEADO FORA DOS QUADRINHOS

Fora de sua mídia original, o Surfista apareceu em episódios dos desenhos animados do Quarteto Fantástico, tanto na série produzida pela Hannah-Barbera em 1967, quanto na de 1994. Foram adaptações das HQs em que o Surfista chega à Terra como arauto de Galactus e quando o Doutor Destino rouba seu poder. 

1967
1994 - 1ª temp.


1994 - 2ª temp.



Também o Máskara, num de seus desenhos, se transforma no Surfista momentaneamente. 





E num desenho do Laboratório de Dexter, as paródias de heróis comandados por um macaco encontram o Colher Prateada (versão bem gay do Surfista) e o Churrasqueiro (Galactus), que colocava planetas num espeto para comê-los.


      Em 1998, a Fox Kids exibiu o desenho do Surfista Prateado. Foram 13 episódios misturando animação beeem básica com efeitos digitais num desenho bem deprê! Era silencioso, triste, e o último episódio não tinha fim, pois continuaria na 2ª temporada, que não foi produzida. O 1º episódio é narrado pelo Vigia, e mostra como Norrin Radd se transforma no Surfista. Nessa versão, o Surfista enfrenta Galactus ao chegar à Terra, mas não tem Quarteto, nem Alicia Masters. O que fez ele recuperar sua consciência foi um encontro com o vilão Thanos. E o Surfista não fica preso na Terra, em vez disso, Galactus condenou-o a vagar pelo espaço sem nunca encontrar seu planeta natal, que foi escondido pelo gigante. 





      








 A música Darkside Of Aquarius, de Bruce Dickinson, do álbum “Accident of Birth”, apresenta o seguinte verso: “Um solitário Surfista Prateado vem empurrar a roda para mim”, referindo-se a roda de Dharma, um conceito cíclico da natureza presente em religiões como o Budismo. Há uma música de Paulo Ricardo com o nome Surfista Prateado, assim como uma banda brasileira.



      No filme O HOMEM QUE COPIAVA, o ator Lázaro Ramos usa uma camiseta com o Surfista estampado na frente. Eu tinha a mesma camiseta, que comprei em Porto Alegre, cidade onde se passa o filme.


       


eu

















       O Surfista Prateado é mencionado também em dois filmes. Um deles é A FORÇA DE UM AMOR (Breathless no original), com Richard Gere, que faz o papel de um ladrão de carros fã de Jerry Lee Lewis e que lê gibis do personagem, mostrados durante o filme, que já tenho em DVD.




*CURIOSIDADE: Fiquei sabendo desse filme na seção de cartas da revista Capitão América 81, mas só tinha o nome original do filme e do ator Richard Gere. Fui até a locadora, mas não sabiam que filme era. Meses depois na lista de filmes do dia do jornal Zero Hora vinha a sinopse e o nome original. Passou às 3 da manhã, no corujão, e eu vi. Depois encontrei o filme na locadora!

Eis a carta enviada e a capa da revista:


 



   O Outro filme é MARÉ VERMELHA, que ainda não vi. Durante o filme o personagem de Denzel Washington interfere numa discussão sobre o melhor Surfista Prateado, se é o desenhado por Jack Kirby ou Moebius. Ele escolhe Kirby.



     A banda de black metal Bal Sagoth lançou uma música chamada The Scourge of the Fourth Celestial Host, com referência a personagens da Marvel, inclusive o Surfista.



Durante um episódio do seriado Arquivo X, um menino importante para a série estava vendo na TV um desenho da série do Surfista mencionado anteriormente. 







   Ultimamente o Surfista participou, com uma versão nanica e cômica, do desenho animado "Esquadrão de Heróis".



E é claro que fora dos quadrinhos existem milhares de itens, roupas, bonecos e brinquedos do personagem, alguns absurdos como uma moto cósmica e uns clássicos como os bonecos da Gulliver lançados no Brasil no início dos anos 1980 - ainda tenho um.







 




















Quanto ao filme  "Quarteto Fantástico e o Surfista Prateado, mencionarei em outra postagem.


“Não nos é permitido saber se lograremos êxito ou não. Não há desonra em falhar. Só existe uma vergonha definitiva: a covardia de não ter tentado.” – SURFISTA PRATEADO, na Graphic Novel 11 - Parábola.

“Por acaso, viver como escravo não é apenas uma forma diferente de morte?” SURFISTA PRATEADO, em Silver Surfer 6 ou Heróis da TV 29.