30 de abr de 2015

Na Escola Osmarino Terra

Ontem, dia 29 de abril, foi dia de palestra e hora da leitura na EMEF Osmarino Terra. Além das palestras, está sendo instalado nos computadores das escolas programa para leitura de histórias em quadrinhos na tela do computador, juntamente com pastas com gibis escaneados, para que os alunos tenham acesso a mesma edição em algum futuro trabalho que os professores se disponham a fazer.

Fotos:











Mais uma vez agradeço a direção, alunos e professores pela atenção.

27 de abr de 2015

Projeto a mil!! Escola Maria Ramis

Fotos do dia 15 de abril - Palestra e momento de leitura de quadrinhos com todas as turmas das séries iniciais!











     Detalhes sobre o projeto em postagens anteriores. Apoio da Secretaria Municipal de Educação de Santa Vitória do Palmar (cujo blog ajudei a montar - link aí do lado). Agradeço à direção, coordenação, professores a alunos da E.M.E.F. Profª. Maria Ramis.

23 de abr de 2015

Novos gibis velhos

Agradeço a doação da professora Denise Teixeira, gibis antigos de Riquinho, Pernalonga, Street Fighter e Zagor. E também comprei dois em espanhol, numa viagem a Montevidéu, no Uruguai: Gato Felix e Ivanhoe. E ainda uma edição educativa sobre o Almirante Tamandaré!









13 de abr de 2015

Cronograma de Palestras

Hoje tem palestra da EMEF Oriete Garcia, como parte da programação do Projeto Gibiblioteca & Séries Iniciais, da Secretaria Municipal de Educação. 


9 de abr de 2015

Quadrinhos nacionais

Repostando texto de 2011 do antigo blog:

   Lampião... Era O Cavalo do Tempo Atrás da Besta da Vida. - Uma edição premiada em preto e branco. Autor assina como Klévisson. Conta as últimas horas do cangaceiro Lampião, quando seu bando foi cercado e fuzilado. A arte é muito boa, o texto expressa o coloquialismo dos personagens. 
   O álbum tem um acabamento de luxo e formato gigante, com páginas de informações sobre o momento histórico e ainda um adendo com referências de objetos e instrumentos usados no sertão na época, para desenhistas, e historiadores. Só não gostei do fato de a HQ em si ser muito curta, além de ter pouco diálogo.



 


   Sepé Tiaraju – lançado pela Câmara de Deputados, foi distribuída para as escolas contando a história do herói indígena que defendeu seu povo na luta contra os colonizadores. Embora tenha estudado sobre o vulto histórico guarani, eu nem lembrava quem ele era. 
   As missões até hoje são consideradas uma sociedade perfeita que mesclava crenças e costumes de diferentes povos de forma pacífica, pois os missionários convertiam os índios em cristãos, mas os deixavam viver com seus costumes, “um triunfo da humanidade”. Depois de firmados e construírem suas cidades (chamadas Reduções), foram liderados por Sepé na revolta quando soldados quiseram, por ordem da Coroa Espanhola, que eles se mudassem para outra região. Eles não viam sentido em obedecer cegamente alguém que não conheciam e resistiram até onde podiam, mas acabaram perdendo no final. 
   Muito humana e interessante esta obra, com acabamento de luxo. Embora desenhos e cores não sejam de um padrão internacional, a edição é muito boa. O lançamento foi iniciativa do Deputado Federal Marco Maia. Roteiro de Luiz Henrique Gatto e arte de Plínio Quartin.



8 de abr de 2015

Demolidor - O Homem Sem Medo

     Criado por Stan Lee nos anos 60, embora já houvesse anos antes um personagem de HQ com o mesmo nome (Daredevil, algo como “Endiabrado”, ou “Demônio Ousado” ao pé da letra), o Demolidor era Matt Murdock, filho do boxeador Jack “O Demônio” Murdock (em Inglês “Devil”, daí a inspiração para  o nome original do herói) fica cego num acidente com lixo biológico e ganha supersentidos (e um radar) que compensam a visão. O pai é assassinado, ele vira advogado de dia e justiceiro à noite protegendo seu bairro.


       Nos quadrinhos o personagem foi revitalizado por Frank Miller no começo dos anos 80, em histórias nas quais o filme foi baseado. No universo do herói urbano, os vilões são gângsteres, traficantes, ladrões e lunáticos; há batalhas judiciais, conspirações políticas, amores frívolos e paixões violentas. Ele mente, trai, ama, erra e sofre duramente as consequências. O personagem é cheio de traumas, defeitos, neuroses e de vez em quando tem colapsos mentais devido à vida dupla que leva. Seu maior inimigo é o Rei do Crime.



       O personagem ganhou uma adaptação para o cinema em 2003, logo após o sucesso de Homem-Aranha. Muitos criticaram, e olhando hoje também concordo que o filme tem uma edição que deixa a desejar, mas eu gosto mesmo assim, mesmo porque pra um personagem de pouca repercussão e com um visual esquisito, tá muito bom! Agora terá uma nova chance num seriado televisivo em 2015 (foto acima)!


O filme fez um relativo sucesso, também graças à presença de Jennifer Garner, como Elektra, que ganhou um filme solo 3 anos depois. E também foi lançado na onda um DVD com a participação do personagem no desenho do Homem-Aranha.O Demolidor já havia aparecido no filme O Julgamento do Incrível Hulk, mas totalmente descaracterizado, com uma roupa preta (ver foto acima), sem os chifrinhos e sem seu logotipo no peito: DD (vejam abaixo). Na dublagem brasileira, chamaram-no de “Audacioso”. Jà no desenho animado do Homem-Aranha dos anos 90 a primeira dublagem o batizou de "Atrevido". Por falar no logotipo, ele gerou um título estranho para o herói em suas primeiras publicações no Brasil: O Defensor Destemido.

 
       Há alguns anos o Demolidor ganhou revista própria, mas durou apenas 35 números, apesar da qualidade excepcional das histórias. 

HQ's do Demolidor

Demolidor Especial 2 - De Frank Miller e David Mazzucchelli, reapresenta a saga A Queda de Murdock, quando a ex-secretária e ex namorada do herói cego Karen Page vende sua identidade secreta por uma dose de heroína, depois de uma carreira decadente na indústria de filmes pornográficos. A informação vai parar nas mão do Rei do Crime (Wilson Fisk) que tenta matar todos que sabem do fato, e depois destrói a vida do herói lentamente, tirando seus bens, seu emprego, manipulando seus amigos e quase enlouquecendo o personagem Matt, que quase nem aparece na saga vestindo o uniforme de Demolidor. É a parte humana e sua história de superação (e perdão) que regem o argumento. Ainda nesta edição vem uma entrevista com o desenhista que fala de seu trabalho e sua técnica.HQ nota 10!


Superaventuras Marvel 106 – O que aconteceria se o Demolidor tivesse matado o Rei do Crime na saga Queda de Murdock. Uma versão alternativa onde surge um novo Demolidor, ironicamente o filho do Rei, Richard Fisk.


Grandes Heróis Marvel 22: Demolidor E Wolverine – Duas histórias fantásticas. A primeira, que se passa quando Matt Murdock se recuperava da saga comentada acima, tem duas partes, e mostra o confronto ideológico entre os heróis do título. Wolverine quer matar o assassino Guerrilheiro (cujos braços se transformam em armas), que está matando mutantes talentosos, como uma bailarina, um músico e uma desenhista. Já o Demolidor quer levá-lo à justiça. Em dado momento, capturado, o Guerrilheiro repudia a justiça do herói cego e diz: “Eu dou as boas-vindas ao inferno!”. Esta frase me marcou. Na segunda história, de Natal, um bandido chamado Trapaceiro, que usou tantos disfarces e máscaras que nem sabe mais quem é verdadeiramente, atrai o Demolidor para questioná-lo sobre o que faz de ambos tão diferentes, sendo que são parecidos por serem acrobatas e se fantasiarem. Um homem numa crise existencial, que acaba morrendo vítima de sua própria loucura. Uma história triste, que tem momentos perturbadores. O Trapaceiro entra numa loja de fantasias e coloca uma caveira de vaca na cabeça pensando que era uma máscara, e fica presa. Com esse aspecto sinistro, ao ser expulso da loja pelo idoso dono, ele diz:  



 O velho fica atormentado com as palavras (eu também fiquei).


Grandes Heróis Marvel 47: A Queda do rei do Crime – Depois de viajar sem destino pelos Estados Unidos, ir ao inferno, perder a memória e enfrentar um culto de inimigos ninjas e ser manipulado pelo Rei, Matt Murdock se vinga e faz o mesmo que Wilson Fisk fez com ele na primeira edição comentada aqui. Ele espalha boatos e acaba minando o poder do Rei em sua própria organização, com ajuda dos terroristas da Hidra. O poderoso mafioso enfrenta a corte federal e sua imagem é destruída. Escapa da cadeia, mas perde toda sua fortuna e bens.


Esta é uma republicação de textos do antigo blog.

6 de abr de 2015

Na Escola Bernardo Arriada

   Hoje teve palestra nos turnos manhã e tarde na Escola Municipal de Educação Básica Bernardo Arriada, na zona rural de Santa Vitória do Palmar. A convite da professora Jeanine Canabarro, apresentei para alunos das séries finais e Ensino Médio"A Ciência dos Heróis", cujo conteúdo está neste blog em postagem anteriores, e também, para as séries iniciais a introdução às Histórias me Quadrinhos com posterior momento de leitura em sala de aula - atividade esta que faz parte do projeto da Secretaria Municipal de Educação.
  Agradeço aos alunos pela atenção, aos colegas professores e um obrigado especial à diretora Marisa Lourenço Rocha pela acolhida e o ótimo almoço!

    Vamos às fotos?










2 de abr de 2015

Novas aquisições

Não dá pra sair da cidade sem voltar com alguma coisa nova pro acervo, então uma passadinha na Loja Tutatis (bem legal, títulos que nunca tinha ouvido falar e importados, mas tudo meio $algado), no Mercado Público e bancas de Porto Alegre e também em Pelotas, foram estas desta vez:
















Universo Marvel 19 com a estreia da nova série do Surfista Prateado, com traço de Mike Allred.



     Uma curiosidade sobre esta última edição: Mônica 26 da editora Abril, relançada na Coleção Histórica pela Panini: Tem uma história adaptada de tiras que mostram a preparação e o nascimento do "irmão do Cebolinha", que eu nunca havia ouvido falar. A ideia do personagem foi abandonada com o tempo, e teve até concurso para escolher o nome, embora nas tiras ele já fosse chamado de Salsinha. Não lembro de mencionarem isto nem mesmo na revista Mundo dos Super-Heróis dedicada ao Mauricio, e olha que lá tem várias curiosidades. Legal isso pra ser explorado em alguma história tipo Graphic MSP, poderiam mostrar a perda dessa criança, sei lá, inserir um pouco de drama e humanidade numa história mais adulta...