23 de mar de 2015

Reuniões Pedagógicas

Durante as reuniões pedagógicas da Secretaria de Educação de Santa Vitória do Palmar, com a presença de coordenadores de escolas municipais e professores das séries iniciais, estou participando com a apresentação do Projeto Gibiblioteca e sua proposta de incentivo à leitura com histórias em quadrinhos: Palestra e momento de leitura com gibis de meu acervo pessoal, além de divulgar o blog como ferramenta de pesquisa.










18 de mar de 2015

Preguiçosos em Tirinhas

            O acervo deste projeto conta atualmente com algumas edições especiais de tiras, originalmente publicadas em jornais.

        O primeiro de que falo é Radicci, com seu humor descarado e sem nenhuma preocupação com o que é civilizadamente considerado educado. O personagem é descendente de imigrantes italianos, mas ao invés da imagem idealizada do que se expõe geralmente, ele é beberrão, peidão, preguiçoso e sem-vergonha, assedia a esposa e provoca o filho ambientalista com suas atitudes antiecológicas. E os desenhos de Iotti são hilários! Vale cada página.

 

             O segundo comentado é Garfield, de Jim Davis. O gato gordo que adora lasanha é também um preguiçoso incurável, que maltrata o próprio dono e o colega cachorro, que como ele diz, é um idiota. Muitos conhecem pelos filmes e desenhos, mas nos quadrinhos o material é muito mais rico e disponibiliza um leque muito maior de situações e bizarrices. Em certa ocasião, quando Garfield acusa o ursinho de pelúcia de ter quebrado um vaso, John, seu dono pensa: “ O que me incomoda não é a mentira, mas o pouco crédito que ele dá à minha inteligência.” Infelizmente esta edição foi "surrupiada" da minha coleção.

 

           O terceiro é Snoopy, da tira “Peanuts”, de Charles Shulz, e traz o famoso cachorrinho de Charlie Brown em aventuras com parentes e diálogos inusitados com o passarinho Woodstock, além de outras situações onde demonstra que gosta mesmo é de ficar deitado no telhado de sua casinha. Embora esta edição não tenha a mesma sensibilidade da série, mesmo assim traz textos reflexivos, mas o que impera é o humor.


 

       Estas edições que trazem coletâneas da linha "Pocket" são muito bons. Quero conseguir outros títulos deste tipo, como Hagar, Níquel Náusea e outros.

Texto originalmente publicado em 2011 no antigo blog. 
 

Ler, abstrair, imaginar - Mundos Paralelos

     Uma das grandes vantagens que a leitura proporciona é o desenvolvimento da capacidade de imaginar e abstrair, e assim ampliar os horizontes de nossa mente. Com as histórias em quadrinhos, ao contrário do que muitos pensam, não é diferente. Não é porque ali tem um desenho que o leitor deixará de imaginar a cena ou personagem. Muitas vezes ele tenta imaginar na vida real o que se passa em forma de desenho. Isso já é abstrair e imaginar.

      Mas um dos exercícios de imaginação que os quadrinhos proporcionam é o de se conhecer realidades alternativas para personagens conhecidos, apresentando versões diferentes do mundo em que vivem. Muitas vezes me deparei com pessoas que não conseguem entender um filme, série de TV ou livro por faltar a capacidade de entender o conceito de mundo paralelos, bem como viagens no tempo. Dois exemplos são os filmes “De Volta Para O Futuro” e o seriado “Lost”, que lidam com conceitos deste tipo.
      E é importante ressaltar que embora sejam ficção, essas ideias são respaldadas em parte pelas teorias da física e mecânica quântica, que lidam com coisas como múltiplas possibilidades, teoria do caos e o princípio da incerteza. Com isso, podem despertar o interesse nessas áreas do conhecimento.
      Nos quadrinhos da Marvel existe uma série chamada “O que aconteceria se...” que mostra diferentes consequências para os atos dos personagens em momentos cruciais de suas histórias, uma outra dimensão onde tudo ocorreu diferente, e também as minisséries que mostram os dias finais de alguns super-heróis. Na editora DC existe algo parecido, uma série batizada no Brasil de “Túnel do Tempo”.

     Vejamos algumas.

      Liga da Justiça – O Prego – O mundo sem o Superman. Tudo por que um prego furou o pneu da caminhonete de Jonathan Kent na manhã em que encontraria o pequeno Kal-El.

 

Super-Homem – Morcego de Aço – Nessa versão, o casal Wayne encontra o foguete com Kal-El. Depois que são assassinados, surge o Batman superpoderoso.

 

O que aconteceria se o Justiceiro tivesse matado o Demolidor – publicado em Superaventuras Marvel 132 – Frank Castle fere o Homem-Aranha quando perseguido por assassinar o herói citado, por conta disso a identidade do Aranha é revelada e Tia May morre assassinada por inimigos dele. Peter Parker tenta se vingar e o Justiceiro o mata também. Para se redimir, tenta acabar com a eleição do novo prefeito de Nova Iorque, que era mandado pelo Rei do Crime.

 

Quarteto Fantástico – O Fim – O sistema solar é colonizado pela Terra, que é um paraíso tecnológico. Mas nesse futuro onde as pessoas vivem séculos, os membros do Quarteto quase nem se falam, depois que os filhos de Reed e Susan foram mortos.

  
  
Cebolinha 85 (Panini) - Cebolinha volta no tempo numa máquina do Franjinha (só podia) e impede o seu Sousa de conhecer a mãe da Mônica e, assim impede o nascimento da baixinha. Ao voltar ao presente, porém, a nova integrante da turma é uma opção pior, e usa um jumento de pelúcia para bater nos meninos.

 

16 de mar de 2015

Crossovers que ando Lendo: Batman/Juiz Dredd/Predador/Aliens/Tarzan

 Não raro cinema e quadrinhos bebem um na fonte do outro. Personagens de gibis vão parar no cinema e vice-versa. Nos quadrinhos, além das adaptações oficiais dos filmes, existem também aquelas que são produto de puro marketing, lançados na “moda” de algum filme, os chamados caça-níqueis. Mas também existem muitas produções de qualidade.


Aliens VS. Predador – Xenogênese – Duas criaturas do cinema, que independentes, geraram bons filmes, mas juntos estrelaram um filme ruim e outro muito pior. Nos quadrinhos tiveram edições especiais e minisséries onde encontraram super-heróis como Superman, Batman, Lanterna Verde e até o Exterminador do Futuro. Nesta edição, a “chefona” de uma corporação manipula seu enteado e liberta sua namorada da prisão para que possam conseguir amostras alienígenas de um laboratório secreto, numa missão suicida que fica pior quando descobrem que as duas raças do título estão se digladiando lá dentro. Boa ação. Desenhos deixam a desejar.

  Transformers – Introdução Ao Filme – o título já se declara caça-níquel, hehe. Os robôs que fizeram sucesso nos desenhos dos anos 80, e estrelaram também séries de quadrinhos foram revitalizados no final da década, com vários produtos sendo lançados no mercado, desde videogames, figurinhas e roupas estampadas, tudo na onda do filme. Esta edição mostra um pouco da batalha no planeta original deles e o momento em que o cubo Allspark é lançado no espaço pela turma de Optimus Prime e vai parar na Terra com Megatron indo atrás. Vale apenas como curiosidade para fanáticos, trazendo fatos não mostrados no filme como o momento em que Bumblebee perde a fala numa batalha e quando Sam recebe a “herança” do bisavô. Desenhos confusos que incomodam. Ação mediana.



Eis as capas de alguns ótimos gibis misturando personagens dos quadrinhos e do cinema: 









Cortesia do amigo Índio Cristiano que me emprestou esses caríssimos itens de sua coleção, além de doar outros. Alguns se destacam pela arte, outras pelo roteiro, mas todas com ótima qualidade. Recomendo!

9 de mar de 2015

Gibiblioteca & Anos Iniciais


      Amanhã o Projeto Gibiblioteca inicia uma parceria com a Secretaria de Educação de Santa Vitória do Palmar, através das Supervisoras Vera Lúcia Pereira e Sabrina Rocha Farias, que me procuraram para inserir nas escolas um projeto de incentivo à leitura com histórias em quadrinhos, onde minha participação será na etapa inicial, além da consultoria na elaboração de objetivos e referencial teórico.

Dia 10/03/2015 será a primeira reunião com professores para conhecerem a proposta e alguns processos de como funciona a linguagem dos quadrinhos, baseado no livro "Desvendando os Quadrinhos", de Scott McCloud. A próxima etapa terá palestras  e hora da leitura nas escolas municipais.


7 de mar de 2015

O Arauto de Galactus - Parte 8

Finalmente lendo, graças aos scans, as histórias nunca publicadas no Brasil da 3ª série do gibi do Surfista Prateado. Aproveitando pra botar em prática meu inglês, pois são scans dos originais americanos que estou lendo. Agora sim entendo referências nunca explicadas e conheço sagas cósmicas como a batalha contra os Anciões do Universo e o Intermediário, informações sobre as Joias do Infinito e os romances com Nova e Mantis, a guerra Kree-Skrull, cheia de reviravoltas, e também o crossover com a saga Desafio Infinito. Estou atualmente na edição 57 (são 146, das quais apenas 24 eu conhecia). Legal também que nas poucas publicadas por aqui ainda cortavam algumas páginas!!!! Pena que não dá pra entrar em detalhes edição por edição, mas como um apaixonado pelo personagem, acho as histórias muito boas, principalmente as desenhadas pelo Ron Lim!
Eis algumas capas:











1 de mar de 2015

Do Inferno

       Cada vez mais fã de Alan Moore, estou terminando de ler as 52 páginas de comentários (que por si só já dariam um livro com tantas referências de pesquisa) sobre a HQ, que só havia sido publicada uma vez no Brasil pela editora Via Lettera no formato de minissérie e agora volta às bancas numa edição encadernada cheia de extras pela editora Veneta.






        Pô e dizer que eu gostava do filme, agora achei um horror, porque não respeita a obra em nada...



     O texto abaixo foi publicado no blog Olhos Estranhos, do meu amigo Leandro Vargas (link aí do lado) e compartilho com ele minhas impressões acerca da magnífica obra:

      "Sensacional a graphic novel "Do Inferno", escrita por Alan Moore e ilustrada por Eddie Campbell. O "tijolo" lançado recentemente pela Editora Veneta ficou incrível e reúne em 592 páginas a história completa (dividida em quatorze capítulos, mais prólogo e epílogo), mapas de Londres, cinquenta páginas de comentários do autor sobre os capítulos e uma história extra que lista todos os autores que tentaram identificar Jack, o Estripador.


Com belos desenhos de Campbell e um texto rico e extremamente detalhado de Moore, "Do Inferno" é uma das melhores HQs já produzidas e apresenta de forma magistral uma interessante teoria para os crimes do famoso serial killer inglês.

A história traz momentos de puro horror (a parte em que a prostituta Mary Kelly cai nas mãos de Jack é assustadora), mostra como a população "comum" pode ser facilmente enganada e manipulada por uma pequena elite e(no quarto capítulo) um complexo passeio por Londres que tem tanta informação que é impossível captar tudo em apenas uma leitura. 



Destaque ainda para o capítulo 14, que fecha a história e é uma grande viagem pela mente do estripador Jack, e para o capítulo 5, que compara - de forma bem melancólica - as vidas do assassino e de uma de suas vítimas.

Recomendável apenas para quem tem estômago forte e imperdível para os apreciadores de boas histórias!"

Capa da edição antiga