24 de jul de 2019

Quadrinhos Disney Nº 0 da Culturama

A editora Culturama não perdeu tempo assim que a Abril cancelou as publicações de quadrinhos Disney. Além de relançar novas coleções, fez em grande estilo, com um box das novas revistas, com uma cartela de adesivos de brinde. E são edições número Zero. Com papel especial, mais forte, e logotipos novos.

 
 





Mickey nº 0 traz duas história bem legais, a primeira com o camundongo, acompanhado de Donald e Pateta (todos desenhados no estilo dos primeiros desenhos animados deles, no início da década de 1930). Eles tem uma empresa desentupidora de chaminés, mas enfrentam João Bafo-de-Onça e uns cientistas que criaram uma máquina miniaturizadora. Em seguida, um relato do dia a dia de Mickey e seu relacionamento com Minnie.








Pato Donald nº 0 traz diversas histórias. Donald é enganado por uma ladra enquanto está com os sobrinhos de férias na Europa, eles andam pela Noruega e Suécia, enquanto os patinhos filmam tudo para postar no Faceduck e no Instaquack. Em outras histórias, Donald encolhe com uma invenção do Professor Pardal, Consegue emprego no clube de golfe, onde os Metralhas aparecem, lida com trapalhadas do Peninha e com a arrogância de seu primo Gastão. E uma história do Tio Patinhas na edição, onde o muquirana vai tentar o minério em Marte.  



 



Pateta Nº 0 tem duas histórias. na primeira, Pateta, Mickey e Eurásia investigam um pergaminho que traz uma profecia de um lagarto gigante que persegue os dois amigos. Na segunda, história, uma personagem que coleciona água acaba raptando uns alienígenas aquosos que fazem amizade com Pateta e Horácio, que entram na missão de ajudá-los. Além de divertida, traz um bom vocabulário para os leitores novos, com aqueles asteriscos indicando que logo abaixo da página está uma explicação. Então, temos "higrômetro", "antediluviano", "agroglifos" e outras.





Tio Patinhas nº 0 - Nesta edição conhecemos Miriam Mac Gold, na história " O grande Amor do Tio Patinhas", uma empresária orgulhosa que se recusa a retomar uma relação com o velho muquirana enquanto ela não recuperar sua fortuna, perdida num investimento anos atrás. Em outra história, Patinhas investe em dinheiro virtual, enquanto dá exemplos de sua pão-durice: não quer pagar encanador, não compra queijo pras ratoeiras nem inseticida para as traças e nem mesmo investe em um alarme adequado. Com Donald e sobrinhos ele enfrenta também a Maga Patalójika e seu violino enfeitiçado, e por fim retorna a um território esquecido em busca de ouro, e encontra o Pé-Grande, com quem faz um acordo lucrativo.


 







































Aventuras Disney nº 0 - Superpato enfrenta um ladrão que possui um raio de azar. Para combater o vilão, precisa então de alguém com sorte, o Gastão. Lobão entra na academia para melhorar sua forma e capturar os três porquinhos. Professor Pardal inventa uma máquina rejuvenescedora, numa história sem diálogos. Vovó Donalda desvenda um mistério numa clássica história de detetives com detalhes minuciosos. E o Superpateta tem uma super dor de dente.















































Seja bem-vinda, editora Culturama, a seleção de histórias está muito boa!

8 de jul de 2019

40 anos de Heróis da TV

Julho de 1979 - era publicada a primeira edição da revista que revolucionou o mercado de quadrinhos de super-heróis. Eis uma seleção de capas e momentos do número 1. Acompanhe as postagens especiais na página Gibiblioteca no facebook:



























3 de jul de 2019

Leituras - Julho 2019

Salvat Vermelha - Marvel Boy: Bom, me desculpem os fãs de Grant Morrison e J.G. Jones, mas tá aí mais uma edição dispensável da coleção. Um quadrinho confuso sobre um guerreiro Kree de outra dimensão com DNA de barata ou inseto (que deveria conceder algum poder, mas quase nada é demonstrado). Ele perde a namorada e o resto de sua equipe na chegada à Terra, é sequestrado pelo tal Dr. Midas (que nunca ouvi falar) e usa um uniforme de batalha ridículo, com capacete que lembra o Alien dos filmes, com um olho desenhado na frente. Envolve-se com a Shield, mas tudo na história é mal aproveitado. A edição também traz alguns erros como palavras repetidas ou mal colocadas e uma tradução mal adaptada em certo momento, onde vemos um Y e dizem ser um V. Tentativa de criar um novo personagem no início dos anos 2000, um rebelde mauricinho com pose de bad boy, e pegaram nome Marvel Boy, usado diversas vezes, mas o personagem só é chamado por seu nome, Noh Varr. Esquecível 5 minutos depois da leitura.





Turma da Mônica - Coleção Histórica Vol. 23 - compreendendo 5 edições de títulos variados e de épocas distintas, sendo a edição 23 da Mônica de 1972, com várias histórias criadas pelo próprio Mauricio de Souza, como Horácio, Penadinho, Zum e Bum, e Bidu. Também na edição Tina (ainda hippie) e Astronauta. Adoro aqueles desenhos antigos com a turma com a cara pontuda.








 




Cebolinha 23, de 1974, é a mais divertida do box. Primeiro, temos uma história onde o Cascão é que bola um plano para ganharem dinheiro e poder ir ao cinema ver um filme de "bangue-bangue". Bidu lida com um "moderno" e chato gravador de fitas K7. Em mais um plano contra a Mônica, a dentucinha é mais esperta e derrota os meninos no escuro com uma piada. Chico bento se dá mal ao decorar falas do Zé da Roça para perder a vergonha de conversar com Rosinha. Nos textos explicativos, Paulo Back comenta que histórias com elementos "nonsense" como uma em que Mônica carrega um buraco, tirando-o do chão, são hoje em dia evitadas. Incrível também saber que a palavra "azar" não é mais usada, sendo substituída pela expressão "má sorte" (quanta frescura). Lucinda se dá mal ao pedir para Tecodonte ajudar Horácio a não se sentir tão sozinho, pois ele acaba apresentando suas primas ao amigo. E na melhor história da edição, Cebolinha e Cascão acabam disputando um concurso de habilidade para ver quem constrói um papagaio (pipa) primeiro. Quem ganhar poderá ser o primeiro na disputa de contar até dez mais rápido, aí quem ganhar poderá contar primeiro a piada na disputa para ver quem conta até três e dar largada numa corrida que por sua vez decidirá quem vai escolher par ou ímpar saltar primeiro na disputa para decidir quem vai pegar o papagaio (pipa) que ficou preso na árvore. Genial!




 


















 




































Chico bento 23 (1983) - um médico novo na vila descobre que as pessoas precisam mais é de um veterinário para seus animais. Papa-Capim se mete em problemas para provar sua bravura e é salvo pelo Cacique. Chico encara um assaltante armado, se dá mal ao tentar pegar mel com Zé Lelé e na história final mente para sua mãe que machucou o braço e poder tirar uma folga e ir pescar, mas se arrepende. Também na revista uma história meio sádica onde Humberto participa de um programa de TV, mas como só fala "Hum", não ganha o prêmio final.





 



Cascão 23, também de 1983, traz um Chovinista que salva o Cascão de encrencas e até a cidade de uma inundação. Cascão também cai no truque da bala que deixa a boca azul, tenta ajudar um garotinho que perdeu a moeda e se dá mal, e na última história tenta adotar um sapo!










Magali 23, de 1990, trouxe uma história bem legal onde a comilona ajuda um velhinho vendedor de pirulitos a vender seus doces e poder comprar um carrinho para trabalhar, pois não podia mais caminhar tanto carregando a caixa com os pirulitos. Mingau descobre que tipo de azar sua amiga de cor preta trazia. Mônica dá um conselho importante para a amiga, que achava que estava gorda e ia explodir. E com medo da expressão "sono eterno", sabendo que significa a morte, Magali fica paranoica, não deixando o pai dormir, e perdendo o sono, imaginando que passaria a eternidade sem nunca mais comer.















Salvat Vermelha - Ben Reilly, Aranha Escarlate - com a história original do clone do Homem-Aranha, de 1975, mais uma minissérie em 4 partes quando Ben Reilly já estava bem estabelecido nas histórias do Aranha, assumindo o manto do herói já que Peter Parker ia ser pai e pensava ser o clone. O retorno de Janine, seu amor perdido e a obsessão de Kaine, que não se resolve nunca se vai matar Ben ou não. Janine tem um passado trágico, foi abusada por seu pai e o matou. No final, o capítulo final da saga do clone dos anos 90, o confronto com o Duende Verde e a morte de Ben. Seria melhor se tivessem publicado o penúltimo capítulo também, mais esclarecedeor do destino da bebê May, filha de Peter e Mary Jane. O final é bem melancólico, com o casal se apoiando depois da suposta morte da criança ao nascer e ainda pesando a morte do amigo, que na edição, infelizmente, não apareceu com o uniforme clássico de Aranha Escarlate.





























Os Maiores Clássicos dos X-Men Vol. 2 - ainda focando no trabalho do desenhista Jim Lee, esta edição traz a conclusão da reunião dos X-Men, que enfrentam impostores dos Piratas Siderais e do Professor Xavier, enquanto Nick Fury e Vampira trabalham com Magneto e Kazar para derrotar Zaladane na Terra Selvagem. Publicadas 3 vezes no Brasil, essas histórias tinham um apelo visual dos anos 90, com mulheres sexy e páginas duplas. O roteiro de Claremont não tem muita profundidade, mas compensa na ação e humor. inclui a edição dupla 275 americana, publicada em X-Men 72 da Ed. Abril, com capa especial.






Salvat Vermelha - Quasar: um super-herói reciclado dos anos 1950, da era pré-Marvel, surgiu como Marvel Boy, depois renomeado como Cruzado e ainda Marvel Man, antes de se chamar Quasar. Wendell Vaughn era chefe de segurança do projeto Pégasus, e um superagente da Shield, fazendo aparições esporádicas até eu Mark Gruenwald lançou uma série do personagem em 1989, com desenhos de Paul Ryan. Uma série modesta e com sua origem sendo recontada com pequenas alterações, teve um desenvolvimento gradual e criou um ícone do panteão cósmico da editora. A série é muito bem escrita e com belos desenhos, com um personagem inseguro, com seus problemas comuns e uma responsabilidade enorme. A edição da Salvat traz nove histórias e o habitual resumo da vida do personagem. Uma curiosidade: a origem foi mostrada na edição do Coisa, nesta coleção, com alguns fatos diferentes, vale a pena a conferida. Ótima peça da coleção, com participação de personagens como Aquarius, Homem-Aranha e o Escudo Azul.



Cascão 358 (setembro de 2000): A capa da edição ficou estranha, meio sugestiva, mas tá: Cascão fica de castigo e tudo acontece: convidam pra jogo de futebol, roubam seu brinquedo, distribuem sorvete de graça e até um Papai Noel fora de época aparece, mas ele não pode sair do quarto. Pensa em escapar, mas o remorso o faz ajudar a mãe a limpar a bagunça. Nas demais histórias, destaque apenas para a arte diferenciada, com um ângulo caprichado e um clima de filmes antigos, mas que de uma hora pra outra muda e tem um final completamente "nada a ver".







Dia 20/07 deste ano comemora-se o 146º do nascimento de Santos Dumont, então vale a pena republicar algo no blog referente a edição em quadrinhos "Santô e Os Pais da Aviação", do cartunista Spacca: Fruto de um longo estudo sobre os primórdios da aviação. O autor, brasileiro, pensou no início em fazer uma obra nacionalista, exaltando Santos Dumont, mas pesquisou e viu que na época vários homens, cientistas e adoradores do balonismo trocavam ideias e as usavam para aprimorar seus equipamentos. E nisso entravam americanos, alemães, e vários outros. A história é bem humorada, traz diversas curiosidades, os traços são bem dinâmicos e divertidos e cumprem bem sua função de ilustrar a vida de Dumont e retratar sua época e o ambiente em que vivia, na Paris na virada do século XIX para o XX. O nome Santô refere-se à pronuncia do sobrenome Santos em francês.









Príncipe Valente  - O volume 1 da coleção da editora Planeta DeAgostini traz os quadrinhos publicados em tiras semanais de jornal no ano de 1937. Desenhos e cores belíssimos, com um detalhamento incrível de paisagens e vestimentas,  o texto narrado sem balões e contando as aventuras do personagem. De família nobre, Valente é criado pobre depois que o pai  e seu séquito são exilados. Criado numa área de pântano, aprende com um amigo a caçar, pescar e daí em diante ele se vira sozinho em qualquer empreitada, utilizando coragem e inteligência em busca de seus objetivos, seja ir atrás de um mistério, domar um cavalo ou tornar-se um cavaleiro do Rei Arthur. O artigo que abre a edição fala do trabalho minucioso do autor da obra, Hal Foster, que escreveu e desenhou por 30 anos antes que outros assumissem a série. Objeto e vestimentas medievais eram desenhados com base em pesquisas, e os eventos da vida de Valente seguem um padrão que permeia toda a saga, com resoluções práticas e inteligentes em detrimento de explicações estapafúrdias e misticismos tolos. Obra prima dos quadrinhos, apreciada por conhecedores e grandes mestres, como Jack Kirby, que se baseou na cena final deste volume para criar as feições de Etrigan, o Demônio, para a DC. Não sei se agradará jovens leitores, mas as ilustrações lembram gravuras comuns em livros que manuseei na infância, por isso tive o elemento nostalgia, e como leio quadrinhos diversos há mais de 30 anos, pude apreciar com certa maturidade a edição. Uns anos atrás eu havia lido um volume em em formatinho e preto e branco e não tinha gostado muito. O formato ajuda a valorizar o conteúdo. E para os que procuram polêmica, no mesmo sentido das insinuações maldosas entre Batman e Robin já desde os anos 1940, há algumas cenas que parecem sugerir certa liberdade entre Valente e o cavaleiro que o acompanha, mas posso estar exagerando.
















Deadpool 3 (2014) - final do arco Deadpool Morto, onde ele arrasta a X-Force e seu amigo Bob numa trama com o Lápide, e o objetivo era se tornar mortal. Com o rosto curado, ele enfrenta o Ardiloso e perde uma batalha, e assim, pede ao Treinador para que este lhe ensine como "mandar ver" mesmo sem o fator de cura. Em duas histórias curtas da "Família Deadpool", um momento bizarro de terapia com uma cabeça putrefata e uma mercenária sem noção; e o Dogpool enfrenta Sunny, o Cão Sentinela.



Deadpool 4 - Depois que o Treinador informa o Caixa Preta sobre a mortalidade de Wade Wilson, ele contrata Cisne Negro e depois Black Tom Cassidy para matar oi mercenário tagarela. Depois, é a vez de uma ex-agente do FBI planejar de forma megalomaníaca a morte de Deadpool, que acaba lhe dando uma lição. Finalizando a edição, Deadpool relembra um caso em que tentou resgatar uma adolescente, já que precisa de dinheiro e sabe onde está bem guardado.













Deadpool 6 - A origem da Tropa Deadpool - Wade Wilson resgata Wanda, Wade Wilson menino (Tito), uma cabeça zumbi dele mesmo e uma versão canina de sim mesmo para "salvar o multiverso" (claro que não!). Mas primeiro devem passar por um teste, num jogo cósmico entre os anciões do universo, Contemplador e Grão-Mestre.














Batman - Caos em Arkham City 3 - Com diversas histórias ambientadas no universo do jogo "Arkham City", onde os vilões insanos de Gotham estão confinados em uma parte da cidade. O Julgamento do Coringa abre a edição, e em outras temos como protagonistas Azrael contra Bane, o Máscara Negra, Hugo Strange, Bruce Wayne e Tália Al Ghul, Os Robins, e então a edição End Game, com o mistério da morte do Coringa.