19 de nov de 2012

Rendendo-me aos scans!

     Pois é, pra quem não apostava muito que o formato digital iria substituir o papel, passei nos últimos quatro meses por uma transformação e tanto. Descobri os gibis escaneados, chamados de SCANS, e me apaixonei pelo formato de leitura no computador. Vários fatores levaram a essa mudança:

a) O vício pela leitura -  tenho que estar sempre lendo e ultimamente as histórias que coleciono da Marvel não apetecem a reler, devido à baixa qualidade, e  estou cansado de reler as minhas dos anos 80 e 90;

b) A falta de dinheiro para comprar edições toda semana;

c) A qualidade dos scans que descobri com o formato de leitura através do programa CDISPLAY, para arquivos com a extensão .cbr e .jpg - letras grandes que não forçam a visão (nem todos), desenhos grandes, valorizando a arte.

d) A variedade de títulos (antigos, raros, clássicos, alternativos) disponibilizados pelos colaboradores, pessoas que escaneiam e tratam as imagens, ou então traduzem gibis que não foram lançados no Brasil - um trabalho árduo e feito com muito carinho por quem gosta muuuuuuuuuuiiiiiitooo de histórias em quadrinhos, coisa que eu não teria paciência de fazer só por amor. Alguns têm opiniões radicais, mas a maioria o faz também para compartilhar edições de sua infância e acabam, assim, eternizando obras lançadas há muito tempo;

e) A oportunidade de trabalhar em meu projeto com obras no formato digital, pois assim posso, por exemplo, fazer com que vários alunos leiam ao mesmo tempo, digamos num laboratório de informática, a mesma HQ para trabalhar interpretação ou outro aspecto que considerar válido.

     Com isso, é preciso ainda me posicionar a respeito de escanear gibis novos, que ainda estão no mercado. Sou contra, acredito que fazer isso é ser contraproducente como fã de quadrinhos, pois acabamos prejudicando as editoras e todos os profissionais que dependem desse comércio, inclusive os autores estrangeiros e nacionais. Se ainda estiver disponível na banca, na livraria ou se pode encomendar direto com lojas e editoras pela Internet, acho que devemos sim comprar, e não aderir à pirataria.

     Agora quando procuramos um título já fora de circulação, que não prejudicará ninguém, e seja para apreciação e divulgação da obra literária, posso dizer que o scan é uma ótima pedida, principalmente para os fãs antigos matarem a saudade relendo uma revista de sua infância ou finalmente conhecer aquela história que nunca encontrou nas bancas e sebos. O mesmo vale para títulos que não foram ( e provavelmente nunca serão) lançados  no Brasil. No meu caso, baixei edições especiais do Surfista Prateado.




Edições não lançadas no Brasil e disponível na internet com texto em português.


     Um dos blogs que costumo visitar e baixar edições antigas é o Quadrikomics, é só colocar essa palavra no google que somos direcionados. Lá vocês encontram links para outros sites e blogs que fazem um trabalho parecido. E cada um deles traz links diferentes, vale a pena conferir!!!



     P.S.: Estou à procura da Graphic Novel Volta Ao Lar (Homecoming), do Surfista Prateado, se alguém souber onde baixar, me avise!




Nenhum comentário:

Postar um comentário