8 de abr de 2015

Demolidor - O Homem Sem Medo

     Criado por Stan Lee nos anos 60, embora já houvesse anos antes um personagem de HQ com o mesmo nome (Daredevil, algo como “Endiabrado”, ou “Demônio Ousado” ao pé da letra), o Demolidor era Matt Murdock, filho do boxeador Jack “O Demônio” Murdock (em Inglês “Devil”, daí a inspiração para  o nome original do herói) fica cego num acidente com lixo biológico e ganha supersentidos (e um radar) que compensam a visão. O pai é assassinado, ele vira advogado de dia e justiceiro à noite protegendo seu bairro.


       Nos quadrinhos o personagem foi revitalizado por Frank Miller no começo dos anos 80, em histórias nas quais o filme foi baseado. No universo do herói urbano, os vilões são gângsteres, traficantes, ladrões e lunáticos; há batalhas judiciais, conspirações políticas, amores frívolos e paixões violentas. Ele mente, trai, ama, erra e sofre duramente as consequências. O personagem é cheio de traumas, defeitos, neuroses e de vez em quando tem colapsos mentais devido à vida dupla que leva. Seu maior inimigo é o Rei do Crime.



       O personagem ganhou uma adaptação para o cinema em 2003, logo após o sucesso de Homem-Aranha. Muitos criticaram, e olhando hoje também concordo que o filme tem uma edição que deixa a desejar, mas eu gosto mesmo assim, mesmo porque pra um personagem de pouca repercussão e com um visual esquisito, tá muito bom! Agora terá uma nova chance num seriado televisivo em 2015 (foto acima)!


O filme fez um relativo sucesso, também graças à presença de Jennifer Garner, como Elektra, que ganhou um filme solo 3 anos depois. E também foi lançado na onda um DVD com a participação do personagem no desenho do Homem-Aranha.O Demolidor já havia aparecido no filme O Julgamento do Incrível Hulk, mas totalmente descaracterizado, com uma roupa preta (ver foto acima), sem os chifrinhos e sem seu logotipo no peito: DD (vejam abaixo). Na dublagem brasileira, chamaram-no de “Audacioso”. Jà no desenho animado do Homem-Aranha dos anos 90 a primeira dublagem o batizou de "Atrevido". Por falar no logotipo, ele gerou um título estranho para o herói em suas primeiras publicações no Brasil: O Defensor Destemido.

 
       Há alguns anos o Demolidor ganhou revista própria, mas durou apenas 35 números, apesar da qualidade excepcional das histórias. 

HQ's do Demolidor

Demolidor Especial 2 - De Frank Miller e David Mazzucchelli, reapresenta a saga A Queda de Murdock, quando a ex-secretária e ex namorada do herói cego Karen Page vende sua identidade secreta por uma dose de heroína, depois de uma carreira decadente na indústria de filmes pornográficos. A informação vai parar nas mão do Rei do Crime (Wilson Fisk) que tenta matar todos que sabem do fato, e depois destrói a vida do herói lentamente, tirando seus bens, seu emprego, manipulando seus amigos e quase enlouquecendo o personagem Matt, que quase nem aparece na saga vestindo o uniforme de Demolidor. É a parte humana e sua história de superação (e perdão) que regem o argumento. Ainda nesta edição vem uma entrevista com o desenhista que fala de seu trabalho e sua técnica.HQ nota 10!


Superaventuras Marvel 106 – O que aconteceria se o Demolidor tivesse matado o Rei do Crime na saga Queda de Murdock. Uma versão alternativa onde surge um novo Demolidor, ironicamente o filho do Rei, Richard Fisk.


Grandes Heróis Marvel 22: Demolidor E Wolverine – Duas histórias fantásticas. A primeira, que se passa quando Matt Murdock se recuperava da saga comentada acima, tem duas partes, e mostra o confronto ideológico entre os heróis do título. Wolverine quer matar o assassino Guerrilheiro (cujos braços se transformam em armas), que está matando mutantes talentosos, como uma bailarina, um músico e uma desenhista. Já o Demolidor quer levá-lo à justiça. Em dado momento, capturado, o Guerrilheiro repudia a justiça do herói cego e diz: “Eu dou as boas-vindas ao inferno!”. Esta frase me marcou. Na segunda história, de Natal, um bandido chamado Trapaceiro, que usou tantos disfarces e máscaras que nem sabe mais quem é verdadeiramente, atrai o Demolidor para questioná-lo sobre o que faz de ambos tão diferentes, sendo que são parecidos por serem acrobatas e se fantasiarem. Um homem numa crise existencial, que acaba morrendo vítima de sua própria loucura. Uma história triste, que tem momentos perturbadores. O Trapaceiro entra numa loja de fantasias e coloca uma caveira de vaca na cabeça pensando que era uma máscara, e fica presa. Com esse aspecto sinistro, ao ser expulso da loja pelo idoso dono, ele diz:  



 O velho fica atormentado com as palavras (eu também fiquei).


Grandes Heróis Marvel 47: A Queda do rei do Crime – Depois de viajar sem destino pelos Estados Unidos, ir ao inferno, perder a memória e enfrentar um culto de inimigos ninjas e ser manipulado pelo Rei, Matt Murdock se vinga e faz o mesmo que Wilson Fisk fez com ele na primeira edição comentada aqui. Ele espalha boatos e acaba minando o poder do Rei em sua própria organização, com ajuda dos terroristas da Hidra. O poderoso mafioso enfrenta a corte federal e sua imagem é destruída. Escapa da cadeia, mas perde toda sua fortuna e bens.


Esta é uma republicação de textos do antigo blog.

Nenhum comentário:

Postar um comentário