9 de jul de 2017

Leituras de Julho

Longshot Especial - com a minissérie completa, publicada pela primeira vez em Superaventuras Marvel e reunida nesta edição em 1991. Na época o personagem foi destaque, mas lendo hoje, as histórias não tinham muito sentido, suas ações parecem aleatórias e os eventos como abertura de portais dimensionais não são explicados. Tudo meio sem pé nem cabeça! Destaque mesmo é o engraçado vilão Mojo. A autora Ann Nocenti tinha um bom desenhista, mas... esse lobo da capa, chamado Tampinha ou Magog, ou a Rita Ricochete, não se sabe o que fazem ali, totalmente sem direção.




Universo Marvel 8 (quarta série) - Continua sendo destaque da revista as histórias do Surfista Prateado, embora a história retratada na capa não seja ruim. Fabulosos Inumanos foi até legal com o triângulo Medusa/Crystalis e Tocha. Mas Venom e Torneio de Campeões é ruim de doer!!!!



Demolidor 12 - a nova fase começa bem, com bastante ação, personagens novos, e um mistério sobre o que Matt Murdock fez para todos esquecerem sua identidade. Cada autor que pega o personagem deixa uma bagunça para o próximo. O atual buscou uma solução fácil, tomara que a explicação não seja algo muito idiota. O novo uniforme ficou legal também, mas o vermelho ainda é melhor!


Encontrei no meio de uma antiga doação de páginas de tirinhas esta página do jornal Zero Hora, de 29 de junho de 1980, com uma rara tira do Incrível Huilk por Stan Lee: 




Doutor Estranho - Uma terra Sem Nome, Um Tempo Sem Fim - é fácil às vezes esquecer de como é bom o trabalho de Steve Ditko. Antigamente eu pensava "é o cara que desenha o Homem-Aranha magrinho". Mas obras como esta saga do Doutor Estranho, também uma cocriação de Stan Lee e Ditko, fazem o leitor se curvar ao talento do artista.  Simplesmente magníficos os cenários imaginados pelo desenhista, ao ilustrar dimensões que desfazem a  física e a lógica. Nota dez para esta edição!



 Salvat Vermelha - Homem de Gelo - Este post está sendo construído aos poucos, de acordo com o ritmo de leitura. Dia 17 de julho, quando comecei, fazia 6° (sim, seis graus - muito frio) escolhi o dia certo para ler esta edição. Bom nos dias que se seguiram da leitura fizeram 3° e 4°. A edição também é meio "fria" - com uma origem da época do primeiro filme dos X-Men e mais um pedaço da saga "Operação Tolerância Zero" dos anos 90. Desenhos num estilo que não gosto, e história meia boca.

Nenhum comentário:

Postar um comentário