3 de ago de 2013

A Última Caçada de Kraven

       Clássica desde o lançamento em formato americano pela Editora Abril (incomum nos anos 90), Homem-Aranha - A Última Caçada de Kraven, minissérie em 3 edições relançada pela Panini num volume encadernado, é realmente surpreendente! Claro que com o passar dos anos perdeu aquele impacto, já que hoje os quadrinhos estão muito mais sombrios, violentos e adultos, mas nada tira seu merecimento.

 

        O Homem-Aranha sempre foi divertido e colorido, apesar de tratar muitas vezes de temas sérios também. Por isso, os fãs da época, que vinham acompanhando a era do uniforme negro já acompanhavam várias mudanças na vida de Peter Parker, como o casamento. Na verdade as histórias da época estavam bem fracas, e ninguém esperava se deparar com um destino trágico para um dos vilões tradicionais do Aranha, Kraven, O Caçador.
           Na primeira parte da história, o Aranha cuidava de sua vida quando se depara com o vilão pela enésima vez, fazendo até piadas com o tédio que estavam suas lutas, que caíam na rotina. Kraven joga uma rede nele e o prende. Mas inesperadamente, enquanto Peter pensava num jeito de se soltar, O Caçador aponta uma espingarda e atira. Esta parte da história acaba com o enterro do Aranha no quintal da mansão Kravinoff, lar do inimigo russo.
        Na sequência, Kraven veste o uniforme do Homem-Aranha e sai pela rua com a sensação de ter tomado a vida de seu maior inimigo. Ele vinha delirando e se tornando violento graças a poções alucinógenas que o faziam ver aranhas caminhando pelo seu corpo e afogando-o. O Caçador, vestido de Homem-Aranha, acaba espancando impiedosamente o vilão canibal Ratus, que também tinha problemas de personalidade e instabilidade mental graças a traumas pelos quais passou*. Ratus associa toda a violência à imagem do Aranha, graças à roupa. Enquanto isso, O Homem-Aranha desperta enterrado vivo depois de vários dias e luta para conseguir se libertar. Havia sido drogado com uma arma tranquilizante especial.

 

          Parte final – Peter Parker volta para sua esposa Mary Jane e, indignado por Kraven ter destruído parte de sua vida e ainda denegrido a imagem do herói, sai à caça do vilão. Mas se depara com Ratus também querendo vingança. Eles se enfrentam. Ratus foge, e Kraven não quer lutar pois para ele, já venceu por ter tomado a vida do Homem-Aranha. Peter sai à procura de Ratus, e ao ficar sozinho, Kraven pega uma espingarda (de verdade) e atira na própria cabeça!
           Assim termina a minissérie, que reconta um pouco da história da decadência da família Kravinoff, e traz citações ao poema Tigre Tigre, de William Blake, substituindo a figura do tigre pela da aranha, falando da “perfeita simetria” de sua teia.
           A Última Caçada de Kraven traria várias implicações psicológicas aos (sobreviventes) envolvidos, que foram mostradas numa outra saga do Homem-Aranha, já comentada neste blog (Quadrinhos e abuso sexual*). O Caçador é um dos poucos personagens da Marvel que não retornou dos mortos (também, pudera!), embora outros Kravens tenham surgido, como os filhos do original.


Nenhum comentário:

Postar um comentário